Publicidade

segunda-feira, 29 de agosto de 2011 Imoveis | 18:51

Vendas de imóveis voltam a 2009

Compartilhe: Twitter

Veja gráfico abaixo que compara venda mensal de imóveis em Sampa em 2009, 2010 e 2011:

As barras azuis mostram volume de  vendas em 2011. O volume de vendas se assemelha ao que tivemos em 2009 ( barras amarelas).

A tabela abaixo mostra o resultado de um levantamento que fiz nos sites das principais incorporadoras que são listadas na Bolsa. Levantei o número de unidades vendidas e lançadas no primeiro semestre deste ano e comparei com mesmo período de 2010. Calculei também a relação entre vendas e lançamentos para ver se havia algo  estranho:

Tais empresas não atuam somente na grande Sampa. Logo, não é possível comparar tais dados com os dados do secovi.

Notamos aí uma queda generalizada nas vendas e nos lançamentos. O percentual de queda  ( 8% ) é inferior aos a queda apontada pelo Secovi, o que indica que as quedas de vendas no resto do país devem ser menores do que a queda que ocorreu em Sampa. Também é possível observar que, na média, as empresas reduziram os lançamentos na mesma proporção das vendas, acompanhando sua queda. Surge então uma possível hipótese para explicar isto: as vendas teriam caído  porque houve um volume menor de lançamentos devido a problemas na oferta ( dificuldade na produção ou na aquisição de terrenos)  e não na demanda e que,  portanto, ainda haveria uma demanda reprimida por imóveis.

Contudo o gráfico abaixo da evolução do volume de vendas sobre unidades em oferta, ou seja, a velocidade em que as vendas estão ocorrendo, mostra que nos últimos meses a velocidade de vendas em Sampa caiu de mais de 20% do estoque a venda para menos de 15%:

Ou seja, está demorando mais para as incorporadoras venderem seus estoques, o que pode explicar a redução no volume de lançamentos, pois ninguém vai querer lançar mais empreendimentos com estoques demorando mais para sair devido a uma queda das vendas.

Preocupante. E, como disse um atento leitor desta coluna, esta queda DE VENDAS ocorreu antes da QUEDA  FORTE DA BOLSA DAS ÚLTIMAS SEMANAS, DA PIORA DO CENÁRIO EXTERNO E DOS DADOS DO BC QUE MOSTRAM UM ESFRIAMENTO MAIS FORTE NA ATIVIDADE ECONÔMICA NOS ÚLTIMOS MESES, COMO MOSTREI NO LINK ABAIXO:

http://ricardogallo.ig.com.br/2011/08/19/brasilia-nos-temos-um-problema/

Veja no link abaixo outros gráficos interessantes:

http://www.secovi.com.br/files/Arquivos/graficos-pmi0511.pdf

Vamos agora aguardar os dados de Junho do Secovi para ver tal tendência se concretiza.

Autor: Tags:

6 comentários | Comentar

  1. 56 SANDRO 30/08/2011 13:38

    Gallo, no penúltimo parágrafo acima do último gráfico, o correto é dizer demanda reprimida e não deprimida, que tem um significado completamente diferente do que você está querendo dizer.

    • Ricardo Gallo 31/08/2011 11:47

      correçao feita…tks.

    • Ricardo Gallo 31/08/2011 11:25

      oops;

  2. 55 Ramon 30/08/2011 12:13

    Bom dia!
    Parabéns pelos gráficos e análise, agora sim esclareceu e antecipou futuros problemas.

  3. 54 r.nunes 30/08/2011 11:55

    Caro Ricardo,

    Parabéns por apresentar matérias sobre a situação do mercado imobiliário, pois só encontramos matérias positivas, num cenário afastado da realidade.

    Um dos problemas seria o estoque de imóveis na mão de “investidores”, quando visitávamos um stand de vendas num lançamento de um prédio a maioria das melhores unidades já se encontrava “vendida”. A quantidade desse imóveis, que num primeiro momento aumentava as vendas agora vai concorrer com as construtoras pelos compradores.

    Outra situação, se efetivamente configurar uma estagnação nos preços do imóveis, o valor do financiamento do imóvel,com uma taxa de 10% ao ano, crescerá 25% . Então teremos a garantia desenquadrada.

  4. 53 Piaui 30/08/2011 9:14

    OLHA A BOLHA! PLOC!

  5. 52 Hamilton Damasceno 30/08/2011 0:30

    Ricardo,
    Existem muitas pessoas que compram imóveis para investir. Num lançamento, chegam a comprar várias unidades, de uma vez só, para ganhar com a valorização que, creem, ocorrerá com o tempo. Só que são muitos meses entre a compra e a entrega do bem, que dura em média, por baixo, uns 24 meses. Neste período tudo pode acontecer.
    As construtoras têm estrutura para suportar um empreendimento no estoque, porém os investidores possuem capacidade limitada. Sobre eles, futuramente ocorrerão custos de condomínio e impostos.
    Logo, essas pessoas poderão mais a frente ter sérios prejuízos caso a demanda continue a esfriar.
    Qual sua opinião sobre essa colocação?

    • Ricardo Gallo 30/08/2011 10:06

      faz sentido. este eh o unico risco.

  6. 51 Marcos 29/08/2011 23:39

    Ricardo,

    Parabéns pela análise e, principalmente, pela coragem de postar.

    Você acredita mais no cenário de estagnação do preço, queda suave ou queda abrupta?

    Abraços,
    Marcos

    • Ricardo Gallo 30/08/2011 10:06

      estagnacao.porem cada imovel eh um imovel… e sampa eh diferente do resto….

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.