Publicidade

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012 Crise na Europa | 04:21

Alemanha: crise? Nem tanto…

Compartilhe: Twitter

A crise na periferia da Europa está afetando pouco a economia da Alemanha.

Veja no gráfico abaixo a evolução da pesquisa IFO  mensal  junto a empresários alemães desde 1991 que mostra sua visão sobre a economia e os negócios por lá ao longo deste período:

Em 2008 as pesquisas sobre  o clima, a situação e a expectativa dos negócios na Alemanha afundaram com a crise americana ( marquei em marrom ), vindo bem abaixo dos 100, que era a tendência central  desde 1991.

Elas se recuperaram com vigor até meados de 2011, quando caíram devido a crise na periferia (marquei em amarelo), mas não chegaram nem perto do vale de 2008 e ficaram bem acima do seu nível central histórico, apesar de toda a confusão armada por seus vizinhos!!

O mais surpreendente é que elas voltaram a subir desde Outubro, apesar do agravamento dos problemas e da forte recessão na periferia, como se vê no detalhe abaixo:




Alguns bancos estimam que a taxa de juros de curto prazo para  a Alemanha deveria ser maior que 2% aa (DB). Com o BCE caminhando para os 0,50% AA e emprestando a 1% AA por 3 anos para os bancos da região,  a economia da Alemanha acaba se beneficiando muito. Setores como o da construção civil, que são mais sensíveis a queda de juros de médio prazo, estão performando muito bem por lá e devem melhorar ainda mais, como vemos no gráfico abaixo  ( marcado em verde ) que mostra a evolução da mesma pesquisa junto a empresários daquele setor:




Outros bancos (GS) dizem que o Euro deveria estar acima de 1.45 vs os atuais 1.32,  se não fosse pela crise na periferia, o que acaba ajudando muito suas exportações e  beneficiando assim o setor industrial, como vemos marcado em vermelho no detalhe abaixo:



O Euro fraco e os juros baixos animaram os Alemães que na verdade dependem muito pouco do resto da Europa.Veja na tabela abaixo que o percentual das exportações da Alemanha para os países do União Européia caiu de 54,7% para 49,2% nos últimos anos, mesmo antes da crise na periferia:




E vejam abaixo que a parcela das exportações que vai para Ásia está crescendo bastante, com destaque para China:

A parcela de suas exportações para os EUA caiu  também enquanto o Brasil quase não aparece no mapa dos destinos preferenciais das exportações alemãs no mundo todo:

Os dados acima foram retirados do site:

http://www.trademap.org/tradestat/Country_SelProductCountry_TS.aspx

Câmbio desvalorizado e juros baixos são um presentão para os exportadores extremamente eficientes daquele país e para sua economia, pois suas exportações representam quase 50% do PIB,  como vemos no gráfico abaixo:


Se você quer entender o motivo da excelente performance das exportações  da Alemanha nos últimos anos veja link abaixo:

http://www.imf.org/external/pubs/ft/wp/2007/wp0724.pdf

Lições: Crise para alguns, uma oportunidade para outros e China é a peça chave do jogo.


Autor: Tags:

Nenhum comentário, seja o primeiro.

Os comentários do texto estão encerrados.