Publicidade

sábado, 9 de fevereiro de 2013 Inflação, Juros no Brasil, Politica Economica | 08:24

Inflação de Janeiro: bastante alta

Compartilhe: Twitter

Veja abaixo a evolução da inflação dos últimos 12 meses desde 2005. Em verde temos a média das medidas de núcleo da inflação,  que mostram a tendência central da inflação ao eliminar as excepcionalidades,  e em azul temos o índice cheio:

Abaixo o gráfico azul mostra o percentual de itens da cesta usada no cálculo da inflação que estão subindo, o chamado índice de difusão:

Os gráficos mostram que:

a. inflação está alta e subindo, tanto no índice cheio como nas medidas de núcleo que expurgam de seu cálculo preços que variaram muito;

b. a quantidade de itens que está subindo é elevada, em nível similar ao ocorrido em 2004 e 2008, dois momentos de inflação forte, o que mostra que a inflação é generalizada.

E veja o que o diretor do BC disse:

A maior inflação mensal em oito anos, o 0,86% de janeiro, mexeu com os brios do Banco Central. Apesar do discurso oficial otimista, o diretor de Política Econômica do BC, Carlos Hamilton, disse ao blog que não está confortável com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) nos patamares atuais. “A inflação preocupa, não estamos confortáveis e estamos monitorando todos os indicadores”, afirmou. Esse desconforto é evidente, segundo ele, apesar de, em todos os cenários traçados pelo BC, a inflação desacelerar a partir do terceiro trimestre deste ano.

Leia mais em:

http://www.dzai.com.br/nunes/blog/blogdovicente?tv_pos_id=123379

E se eu estiver correto e a economia se reanimar nos próximos meses como alguns indicadores estão mostrando podemos ter mais pressões inflacionárias. Vamos depender muito da queda das tarifas de energia e da provável queda do preço dos alimentos para tentar segurar o dragão. Senão,  dá-lhe dólar barato e desoneração de imposto para domar a fera!

Autor: Tags:

11 comentários | Comentar

  1. 61 Luiz Célio 19/02/2013 9:57

    Ricardo, sabendo que o problema de nossa inflação é de oferta, e não de demanda, o que explica a fala de Guido Mantega a respeito da elevação de juros? Não seria um contraponto, pois, agora que a tendência começa a ser de crescimento, aumentar a barreira? Não está na hora de pensar em posicionamentos de longo prazo: maior investimento em educação para melhorar a produtividade da MO, maior investimento em infraestrutura, entre outros?

    • Ricardo Gallo 19/02/2013 11:11

      sim e nao.

      como eh um problema de oferta subir juros pode segurar investimentos…por outro lado deixar inflacao subir e se espalhar destroi qqer espiritio animal que impulsiona investimento pois aumenta a incerteza….. se temos sistema de metas de inflacao temos que cumpri-lo ou larga-lo. e na pratica, se nao temos oferta, precisamos reduzir a demanda para trazer precos a equilibrio….neh?

      deixar inflacao solta contamina expectativa.

      sim, educacao e infra sao fundamentais.

  2. 60 Nelson Leite 19/02/2013 9:02

    Oi Gallo, como ensinou meu professor do Cursinho Objetivo uma vez : Inflação é o
    excesso de “dinheiro” no mercado !!! Então salários em alta e produtividade em baixa com certeza ia dar nisso … Investimento já dona Dilma .

    Abs.

    P.S. Parece que o Verdão baratinho agora vai .

    • Ricardo Gallo 19/02/2013 11:16

      simsim…

  3. 59 Mauro 18/02/2013 21:59

    Gallo, mais uma vez, parabéns pelo Blog. Excelente.
    À medida que o tempo vai passando, mais claro vai ficando que a economia brasileira está na situação clássica do “sapo fervido”.
    A inflação persistentemente alta (e mais próxima ao teto da meta do que ao centro), o crescimento medíocre, as intervenções atabalhoadas de diferentes setores do governo compõem um conjunto de sintomas de um problema que é muito maior: a agenda. O governo brasileiro tem uma agenda anti-competitividade e anti-produtividade num momento que a competição global fica cada vez mais acirrada – e que até a Europa, incrível, faz 1000 vezes mais reformas modernizantes do que nós. Nossa agenda é totalmente equivocada e correções pontuais, mesmo que ocorram, não eliminarão o problema de fundo que é a agenda totalmente equivocada. A água está esquentando e estamos imóveis, esperando que algo aconteça para que sua temperatura caia “por encanto” – ou, em outras palavras, que o governo mude por completo sua agenda. Infelizmente, não vai ocorrer.

    • Ricardo Gallo 19/02/2013 11:17

      o governo nao estah imovel…. esta se mexendo ate demais… menos governo as vezes ajuda muito…muito….

      governo eh bom quando foca em educacao, saude e seguranca …… deixa o resto com a gente!

  4. 58 J.Leite 16/02/2013 15:13

    O que está subindo demais a algum tempo é o preço dos alimentos. Feijão, arroz, derivados de milho e todos os alimentos para o homem e para os animais. Acredito que isso é provocado pela grande quantidade de terras que antes era usada para produzir alimentos e pastagens para o gado hoje são desviaddo para plantações de cana para produzir alcool para alimentar os motores dos automoveis.

  5. 57 carlos rocha 16/02/2013 12:07

    Tem toda razão; ” meta de juros” em função ,provavelmente, dos dividendos politicos que isso possa trazer; enfim…..

  6. 56 r.nunes 16/02/2013 10:20

    Caro Ricardo,

    Nos últimos anos as medidas governamentais adotadas visaram aumentar o consumo e a renda sem a contrapartida do aumento da produtividade. Como você vem demonstrando em seus textos há um bom tempo.

    Conseguimos criar uma nova classe média basicamente em cima dos mesmos serviços, sem aumento do nível educacional ou melhoria da qualidade dos serviços, principalmente através do aumento salarial acima da inflação do salário mínimo.

    A classe média tradicional, se assim podemos denominá-la, foi sufocada por um aumento monstruoso da carga tributária e do custo dos serviços acima mencionados.

    Os salários do setor público em todos os níveis de governos, federal, estaduais e municipais foram elevados muito acima do segmento privado.

    A lei de responsabilidade fiscal, tão duramente conquistada ao longo dos anos 2.000, tem se transformado numa peneira. A forma de cobrir a crescente folha salarial tem sido a elevação dos impostos principalmente em cima de combustíveis, eletricidade e comunicação. Razão também da elevação custos.

    A crescente massa de recursos na economia, além da recente queda na taxa de juros força ainda mais a quantidade de moeda em circulação.

    Não existe milagre a conta tinha que estourar por algum lado.

    O consumo realmente cresceu ou importamos ou produzimos mais com menores custos.

    Conseguimoscons

  7. 55 As boas perspectivas para o mercado imobiliário em 2013 | Blog da ARC 14/02/2013 18:56

    […] janeiro desde 2005, e também generalizada, o que deve exigir ajustes por parte do governo, segundo a análise de Ricardo Gallo. Ocorre que, como a baixa taxa de juros é uma promessa de campanha da presidente Dilma, o Banco […]

  8. 54 Luiz C Dambroso 14/02/2013 16:24

    Caro Ricardo pelo q leio nas manchetes econ a inflaçao eh de Custos e nao de demanda, isso quer dizer q aumento de demanda nao afetaria muito a inflaçao. os serviços q vinham presionando a inflaç devem parar em alguns casos ate recuar (vide construçao civil) q esta desaquecida e terminando os gd investimentos em andamento, nao deve as construtoras rieniciar grandes obras, os salarios nao devem subir muito este ano vide o minimo. mesmo o dolar q no anno anterior subiu muito, e ainda pressiona a inflaçao deve ( e ta) estabiliz. nao sei o q ta fazendo a inflaç subir ? vc pod me dizer ?

    • Ricardo Gallo 15/02/2013 11:51

      bom, esta historia de inflaçao de custos nos levou a hiper na decada de 90…eu me lembro bem….

      nao existe inflaçao de custos. custos sao preços, como rendas sao custos… o salario da minha secretaria é meu custo, mas é renda dela, e é um preço da mao de obra… o preço trigo é custo para o fabricante de farinha mas receita para o agricultor…farinha eh custo ou preço para o padeiro? e o pao eh custo ou preço para voce?

      toda inflaçao eh de custo!!!!!

      inflaçao eh um fenomeno monetario …. mas que se manifesta num desequilibrio de oferta e demanda…. custos sobem pois ha mais demanda do que oferta para os itens que subiram seus “custos”, ou como os economistas chamam, seus preços….

      se inflaçao eh de custos, podemos dizer que 75% dos “custos” da cesta basica estao subido…

      nao existe inflaçao de custo… existe desquilibrio entre oferta e demanda ou choques transitorios de preços…. fora alimentos, nao temos nada disto…pelo contrario se ha choques transitorios eles sao positivos, ou seja, ajudam a derrubar a inflaçao pontualemnte, como o que vai acontecer este ano com preço da energia eletrica e aconteceu nos ultimos 5 anos com congelamento dos preços dos combustiveis,…..

      temos uma historia horrorosa de inflaçao no passado, somos inflacolatras tentando largar o vicio, e ficamos dizendo que soh bebemos socialmente….

      AAA na gente!!!

    • Ricardo Gallo 15/02/2013 11:42

      o q estah fazendo inflaçao subir: queda na oferta, em virtude dos baixos investimentos do passado, aumentos de salarios dos ultimos anos que nao acompanharam a elevacao da produtividade….tentativa do governo de desvalorizar artificialmente o dolar ano passado que elevou precos dos tradables, alimentos em alta, exaustao da massa de desempregados que aceitava salarios baixos para ter uma emprego, pressoes de custos nas empresas, e por ai vai….. resultado de anos de problemas e de varios desequilibrios…. ai um dia a coisa estoura…..

      pergunto: se teu patrao falar que vai aumentar 4.5% os salrios neste ano, o que voce acha?

      se voce for patroa e decidir pagar 4.5% de aumento, nao perde todo mundo???

      com salario subindo acima da inflaçao e com produtividade da mao de obra estagnada, como podes dar uamnetos reais de salario como temos tido??????

  9. 53 andre perotoni 12/02/2013 19:35

    Ricardo,

    Como previamos, da-lhe dolar barato para segurar inflacao. E eu nao consigo
    entender as mesas (safra, bradesco, itau). Eu apostando na baixa do dolar
    para 2013 e eles me indicando aplicacoes o contrario. Faltaram alguma aula.

    • Ricardo Gallo 15/02/2013 11:36

      oia…. eh assim: no curto prazo, é para baixo pois ninguem quer combater o bc…porem no longo prazo…. nao tem jeito…. ou melhoramos nossa produtividade…. ou o dolar terah que subir…

  10. 52 carmen c.perine 12/02/2013 18:40

    Não, nos espanta, mais a subida gradativa, da inflação…nossa economia está na UTI…e os senhores,regentes de nosso quadro econômico,estão,desesperados, não sabem mesmo, o que fazer…cada dia o quadro,se mostra, pior, e tudo indica, que vamos,para a mesma situação,de antes do PLANO “real”,( nosso salvador), e agora, o que fazer????, já vimos este filme antes, e era desesperador, pareciá-nos o fim do brasil… é entregar,nosso país nas mãos de pessoas, sem o menor preparo para condizí-lo, sem capacidade, e sabedoria de gestão foi sem dúvida, uma verdadeira loucura,,e agora o que fazer, se tudo voltar a ser como antes do real,o brasil da inflação,desenfreada???,estamos correndo um grande risco, mas felizmente, temos,grandes cabeças na área finaceira e para tal, deveremos laçar mãos dela…agora só nos resta rezar..carmen

    • Ricardo Gallo 15/02/2013 11:35

      calma…. nao acho que a presidenta pretenda deixar inflaçao sair do controle. duvidooooo!!!!!!

  11. 51 carlos rocha 09/02/2013 8:54

    porque não aumentar os juros? não seria mais coerente? A curva de juros futuro já indica isso…

    • Ricardo Gallo 15/02/2013 11:32

      eh o caminho mais ortodoxo. porem me parece que estamos num regime de metas… de juros;;;;;

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.