Publicidade

quinta-feira, 14 de novembro de 2013 Brasil, Investimentos, Politica Economica | 15:35

Reformas já: Brasil e China

Compartilhe: Twitter

Peço aos leitores que leiam o texto abaixo, retirado do Jornal Valor Econômico desta quinta feira:

Na primeira etapa {da crise de 2008}, os países emergentes vinham de um longo período de bons ajustes macroeconômicos e de grande acúmulo de reservas. Por isso, reagiram rápido, cada um utilizando sua própria força motriz: o Brasil, que crescia baseado na ampliação da renda e do consumo, dobrou a aposta e a China, que sustentava seu PIB principalmente no investimento e no saldo comercial, forçou mais o investimento.

Na segunda onda da crise, foi diferente. Havia um esgotamento do ciclo. Não bastaria para o Brasil promover mais consumo, aumentando a dívida das famílias e do governo, e não bastaria para a China ampliar ainda mais o investimento, com nova expansão do crédito a governos locais e empresas estatais, com eficiência cada vez mais duvidosa. Fazer isso seria esticar a corda no limite e preparar um quase certo desastre posterior. Por isso, o Brasil, a China e todos os grandes países emergentes desaceleraram com a crise do euro, o segundo mergulho da crise.

Essa avaliação é vista com surpresa pelos analistas chineses. Para eles, há um esgotamento do modelo chinês, e outros problemas com países como o Brasil. Tento dizer a eles que, na verdade, enfrentamos o mesmo problema, a crise financeira mundial, com impactos diferentes em nossas economias. E com necessidades diferentes para o futuro. De alguma forma, o Brasil precisa ser mais China – priorizar investimentos – e a China ser mais Brasil – fomentar o consumo interno. Em 2012, como componente do PIB pelo lado da demanda, o consumo privado na China respondeu por apenas 35%, quando no Brasil foi de 61%. Por outro lado, o investimento na China respondeu por 48% e, no Brasil, apenas 19%.

A boa notícia é que as economias mais desenvolvidas estão retomando. Mas não será óbvio crescer no próximo período. Para repetir o sucesso do último ciclo, os emergentes terão que trabalhar dobrado, fazendo reformas e aperfeiçoamentos institucionais, ganhando produtividade. Eles concordam. No Cicir, que tem grande influência nas políticas governamentais, todos são reformistas.

 

Trata-se de um trecho do excelente artigo escrito pelo Min. Palocci, articulador da política econômica do governo Lula, que esteve recentemente na China, observando o que os comunistas chineses estão fazendo em termos de reformas capitalistas.

Como está dito aí:

a. o nosso modelo também se esgotou.

b. logo, precisamos fazer reformas.

c. e precisamos aumentar investimento do capital privado na economia, reduzindo nossa dependência do consumo.

Porém para que isto ocorra, precisaremos gerar mais poupança, senão o déficit externo explodirá. A China poupa mais de 50% do PIB, e nós, míseros 17%.  Logo, as reformas deverão ter como objetivo aumentar a poupança interna, que nada mais é do que o capital público e privado que está disponível para financiar o investimento. Se isto acontecer, o juro cai, e com juro menor, com estabilidade de regras, com estímulos fiscais alinhados e com ambiente econômico favorável, o investimento do capital da chamada ” iniciativa privada”  vem naturalmente, pois um capitalista dos bons gosta de lucro, já que vive do lucro sobre o seu capital investido. Já os socialistas preferem o Estado. Porém na ora de investir, precisamos de mais capitalistas, né?

Esta é a lógica da acumulação do capital e do comunismo. Primeiro você deixa a turma acumular capital dentro da mecânica normal capitalista, criando mais riqueza, e depois você assume o poder e a divide, seja através de reformas socialistas de fato ( não assistencialistas… socialistas, entende??), ou via revolução comunista, se apropriando dos meios de produção… né, Marx?

Nossos socialistas precisam aprender com os comunistas Chineses: se de fato o nosso governo pretende aumentar o investimento de capital privado, ele precisa:

1. fazer este capital aumentar ( ou seja, aumentar poupança interna ), aumentando sua oferta, e reduzindo assim o custo do capital para o capitalista empresário ( China fez isto há 15 anos);

2. reduzir o custo e o risco nos investimentos, tornando ambiente regulatório e tributário mais amigável ao capital e menos volátil, pois, como diz um amigo meu empresário: cada dia no Brasil temos um susto novo, parece até trem fantasma!!! ( China fez isto…leia artigo do Ministro…)

3. aumentar o retorno destes investimentos, tornando-os mais atraentes, de tal forma que seja mais interessante investir do que gastar a grana com consumo.

Ou seja, transforme nossa sociedade consumista estatizante em capitalista empreendedora.

E parece que o Socialista Rui Falcão também concorda com isto:

Rui Falcão: Presidente reeleito do PT defende investimento privado 

 
O presidente nacional do PT, deputado estadual de SP, Rui Falcão, foi reconduzido ao comando da legenda, com a vitória mais expressiva desde que a sigla adotou, em 2001, o Processo de Eleições Diretas (PED).
Com 79% das urnas apuradas, o parlamentar paulista alcançava 70,2% de um total de 337.604 votos válidos.
Os melhores desempenhos registrados no primeiro turno dos quatro PEDs anteriores eram de José Eduardo Dutra, com 57,9%, em 2009, e de José Dirceu, com 55,6%, em 2001.
A reportagem é de Cristian Klein e publicada pelo jornal Valor nesta quarta-feira (13).
A principal tarefa de seu mandato, de quatro anos, anunciou Rui Falcão, será trabalhar a reeleição da presidente Dilma Rousseff.
Diferentemente das últimas disputas presidenciais, no entanto, quando a estratégia foi a de criticar privatizações realizadas no governo Fernando Henrique Cardoso, o PT lançará mão de um novo discurso.
É o que indicou Rui Falcão, ao ser questionado pelo Valor se um eventual segundo governo Dilma manterá a marca social das gestões petistas sob um orçamento mais apertado.
Rui Falcão afirmou que há a necessidade de uma reforma tributária (????) e de mais investimentos da iniciativa privada.

Leia mais em:

http://www.valor.com.br/cultura/3337966/o-dilema-de-pequim#ixzz2kdoaKck7

Autor: Tags:

4 comentários | Comentar

  1. 54 Magos 17/11/2013 15:21

    Ricardo, sabe o que o Falcão quis dizer com reforma tributária? Que vc como parte da “zelite” vai ter que contribuir para manter as bolsas …tanto dos ‘descamisados” como daqueles que frequentam o BNDEX!!!

    Abs

    p.s leu a the economist sobre a China?

    • Ricardo Gallo 17/11/2013 18:07

      sim. exatamente. zelite.

      sou da zelite sim. ele tambem é. ze dirceu, lula, dilma, fhc, collor, mantega, serra, kassab, os ministros, os fiscais da prefeitura, a turma do metro, o calheiros, …. somos todos. porem eu trabalhei…. e acumulei. nao herdei nem roubei…. mas da para entender a raiva da turma do tea party nos eua….

      li sim. os caras vao caminhando… devagar….

  2. 53 Galináceo 17/11/2013 6:43

    Gallo Venezuela ou Coreia ?Vamo junto pra Venê…Nada a ver com o tópico,mas tenho observado e acabei de ler ,que produtos tem reduzido de tamanho e mantendo o preço.Há casos de queda de 25% na quantidade,pergunto:Os índices que medem a inflação pegam esses movimentos?Ou vamos maquiando ela também?

    • Ricardo Gallo 17/11/2013 12:20

      indices ajustam isto… . e quanto a venezuela, pode anotar ai que para la eu nao vou nao….

  3. 52 Ricardo R 15/11/2013 10:26

    As únicas reformas que o governo PT fez e fará foram a reforma do palácio do planalto e do Alvorada. O resto é só papo. Ngm tem cojones nesse país pra enfrentar os ralos de dinheiro público, como custeio e previdência.

    • Ricardo Gallo 16/11/2013 10:58

      vao ser forçados a… mais cedo ou mais tarde ai terao que escolher: venezuela ou coreia do sul?

  4. 51 luiz C Dambreoso 14/11/2013 22:48

    Ricardo DESISTA, se depender do povao deste pais poupar e tbem do gov , nos sempre avançaremos para tras aqui so sombra e agua fresca, eh so gnahar uma graninha a mais e delhe viagem e festas. e o PT sabe disto deve ter estudao Roma antiga essa eh a politica “deixa ganha deixa gastar q nos ganhamos” (as eleiçoes)

    • Ricardo Gallo 16/11/2013 10:57

      olha, de fato tenho mesmo pensado nisto…..

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.