Publicidade

sábado, 22 de fevereiro de 2014 Crise Brasileira, Heróis do Mercado, Politica Economica | 11:40

Delfim, Gleisi e o Estado que não anda

Compartilhe: Twitter

E em artigo recente, o Min Delfim comenta sobre a Ministra Gleisi e seu papel no programa de privatizações e concessões da Presidenta Dilma, que teve coragem e enfrentou a turma de seu partido que tanto as criticou no passado.

Contudo, eu gostaria destacar algumas colocações da da Ministra Gleisi, selecionadas com esmero pelo Ministro em mais um excelente artigo, sobre a incapacidade do Estado em caminhar mais rápido e nas razões para que isto não ocorra.

Segue abaixo link com artigo completo:

http://www.esmaelmorais.com.br/2014/02/veja-essa-em-artigo-delfim-netto-elogia-privatizacoes-de-gleisi/

Vejam alguns trechos:

Numa entrevista concedida à competente jornalista Débora Bergamasco, publicada no domingo pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, Gleisi revela, por um lado, humildade e coragem e, por outro, que captou as dificuldades da administração pública que o PT ainda não entendeu. Por conta da humildade, temos sua réplica à pergunta “por que as respostas do governo são lentas?” Diz ela: “porque dependem da articulação das três esferas da Federação e de vários órgãos”.

E acrescenta sem rebuços: “Claro que eu gostaria que tivesse maior celeridade. Claro que se eu tivesse, no início, a experiência e o conhecimento que tenho agora, acho que eu teria conseguido fazer isso”.

Mais importante é a sua corajosa reflexão em resposta à pertinente, mas incômoda, pergunta da arguta jornalista: “Qual é a maior dificuldade do governo em fazer o Brasil andar?” Vale a pena transcrever, para iluminar alguns ideólogos das virtudes do estatismo. Ela responde: “Ainda é a falta de cultura da máquina pública de agir por resultado. Temos uma baixa cultura de comprometimento de entregas. O serviço público não está acostumado a isso, então quando nós cobramos resultados muitas vezes tem reação. Quando cobramos metas, organização, não temos o retorno esperado porque é uma questão de cultura e também da própria organização do serviço público, em que a estabilidade está na base e a instabilidade está no comando. Isso faz com que o setor público acabe ficando mais acomodado”. A frase é antológica, “a estabilidade está na base e a instabilidade no comando”!

Se há alguma dúvida sobre a verdade essencial dessa ponderação, basta atentar para as dificuldades que estamos vivendo no setor elétrico, além dos problemas climáticos: 40% do volume de energia planejado para estar em operação não foi entregue na data prevista, por dificuldades de toda natureza. Ainda mais lamentável é o descompasso de mais de um ano entre os projetos que estão prontos e as necessárias linhas de transmissão, o que elevará para sempre o custo da energia.

Meu Pitaco:

Elogio aqui a humildade e a lucidez da Ministra Gleisi ao reconhecer os problemas e as limitações do Estado, e o brilhantismo do Min. Delfim ao captar estes pontos.

E não se trata qui de uma critica ao Estado do PT, PSDB, DEM, PSB, Republicano, Democrata, Peronista, Justicialista, Bolivariano, etc. Esta é uma característica de todos os Estados do mundo, pois não foram desenhados para empreender, para investir, para competir com o setor privado, pois não visam o lucro e suas estruturas de remuneração e organizacional não promovem a competição interna que move as estruturas privadas, pois não são gerenciados por resultados. É uma questão de desenho. E a Ministra aprendeu esta lição na própria pele.

Logo, precisa entrar na cabeça da turma da esquerda estatizante que defende o “Estado grande e ativo ” o que diz a Ministra Gleisi, o Ministro Delfim, o Min. Pedro Malan e o Ministro Meirelles, entre outros, para que  entendam que seria mais eficiente que o Estado ficasse de fato focado nas atividades sociais, no bem estar social, nas politicas sociais, na educação, na segurança e na saúde,  e deixar o setor provado cuidar do resto,  mas com muita, mas muita competição. Vamos alocar os escassos recursos dos nossos impostos de forma mais eficiente, onde o benefício social seja mais imediato. 

Uma dose de liberalismo não mata. Ajuda muito. Que tal rasgar de vez algumas ideologias socialistas,  antiquadas e ineficazes, que só atrapalham o nosso governo? Privatização e concessão deixou de ser palavrão!!

Parabéns Ministra Gleisi! Obrigado e sucesso em seu futuro político!!!

min-gleisi-hoffmann-2

Autor: Tags:

7 comentários | Comentar

  1. 57 Bruno 25/02/2014 1:18

    O que de verdade não consigo entender, isso não é uma crítica ao Ricardo Gallo, mas muita gente hoje em dia idolatra o Delfim !
    De verdade, as vezes para e me pergunto se todos perderam a memória ???
    O que esse Sr. fez ao país não pode ser esquecido, além do que ele não fez quando durante anos foi deputado.
    Me desculpem, mas tudo que vem desse Sr. pra mim não transmite credibilidade. E infelizmente, a opinião geral é o contrário, jogam esse Sr. no Céu !!!

    • Ricardo Gallo 25/02/2014 11:30

      eu nao idolotro o delim nao… penso muito muito muito diferente dele… soh coloco aqui pois ate ele esta concordando comigo…logo…

  2. 56 Wilson 24/02/2014 23:10

    Não precisa cobrar 1 centavo pois o verdadeiro ganho para a o país está no ganho de produtividade gerado pela eficiência proporcionada no setor privatizado.
    A Petrobras tem 200 mil funcionários e privatizada teria uns 30 mil que produziria no mínimo o mesmo (tipo Embraer, Vale …)

  3. 55 joao flavio 23/02/2014 20:08

    “se eu soubesse o que sei hoje , o resultado seria diferente ”

    Legal . O Brazil esta em um estagio que lá em cima , no foco das decisões NÃO podem existir despreparados , inexperientes , superficiais , improvisadores , etc , etc e tal
    Temos que colocar em postos chaves , gente que não vai lá para aprender , mas simnpara ensinar .
    Adeus Ministra Gleisi . Que o solo do Paraná seja leve para enterrar sua candidatura ao governo estadual
    Mesmo por que , o estado do Paraná merece um governador melhor e mais bem preparado .

    • hudson 24/02/2014 17:45

      Ricardo, eles não aprenderam, estão apenas discursando pra agradar ao mercado. Ela vem candidata ao governo do Paraná. Teve 3 anos pra melhorar a máquina pública. O que ela fez de bom? Nem se ouvia falar nela e no ministério dela.

      E cara, o programa de concessões do PT é uma piada. Vende tudo, mas o comprador paga com o meu dinheiro, em troca de juros abaixo da inflação.

      É uma piada de mau gosto esse programa de privatização, inclusive o do FHC.

    • Ricardo Gallo 24/02/2014 17:51

      piada ou nao eu prefiro estes ativos nas maos do setor provado do que do estado. e ja que existe o bndes, prefiro que ele empreste subsidiado para as concessoes do que pra empresa grande nacional. o estado investe mal e gerencia pior ainda.

      eu tendo a acreditar mais no que estas pessoas falam. senao, a saida é cumbica…hehehe

    • Ricardo Gallo 24/02/2014 11:48

      Ps;seu tivesse 20 anos com a experiencia que tenho hoje…pois é…

    • Ricardo Gallo 24/02/2014 11:46

      Olha, eu entendo as criticas a Ministra, porém acho importante que pelo menos turma aprendeu e o fato de estarem falando isto abertamente já é uma enorme evoluçao.

      obviamente o fiasco argentino e venezuelano ajudaram bem…. nossos politicos aprendem em crises…somente em crises…

  4. 54 Luiz C Dambroso 23/02/2014 13:41

    O q Comentar?/
    Ainda bem q nao foi o PT q subiu ao poder, e sim LULA : ou seja a ala mas moderda e sempre maioria naquele partido, alias qdo se fala em Pt deve-ter sempre em mente q la existe varias alas (correntes) algumas mais radicais (psol, pv eoutros ps…) nao suportram as politicas de Lula e sairam. mas ainda restam alguns cabeças (duras) radicais la. mas mesmo moderados Lulla conseguiu algumas mudanças politicas economicas importantes tal qual reduzir a diferença entre os muito pobre (“a nova classe media”) e os muito ricos, mesmo q muitos podem argumentar q foi graças aos bons ventos economicos ou “as reformas anteriores de FHC.

  5. 52 Galináceo 23/02/2014 8:05

    Tudo bem,mas se vc quer privatizar e um estado mais ágil não pode ficar no PT ponto.Não é criticar este ou aquele partido é lógica,é da natureza do PT um estado forte ,que se mete em tudo e babá.Este é o ponto crucial, se somos a favor de um estado enxuto,mercado,livres escolhas,pouca metida de colher não podemos escolher partidos que pregam isso a vida inteira.O resto me desculpe é papo furado.A esquerda gosta da democracia de Cuba,Venezuela,Coreia Do Norte e por ai vai…A China virou potência,apesar da falta de democracia e Lula já falou outro dia que não pagaria jamais os salários deles tá na veia amigo.Então não tem esta,esquerda na América Latina é estado grandão e ineficiente.Espero que ela não tenha sucesso,tá na veia pode ter uma recaida !!!!!

    • Galináceo 24/02/2014 20:15

      Gallo o comércio tá uma porcaria,acho que essa curva do emprego vai embicar já já.

    • Ricardo Gallo 25/02/2014 11:31

      tenho ouvido isto….

    • Galinaceo 24/02/2014 20:13

      Concordo plenamente,sou mineiro e o Aécio adora aumentar imposto um horror.Alias tamo num mato sem saída.

    • Ricardo Gallo 25/02/2014 11:31

      odeio imposto.

    • Ricardo Gallo 24/02/2014 11:47

      mais isto nao é exculsividade do pt nao…. tem muita gente no setor privado que gosta de estado grande….e ate na oposicao….

  6. 51 Ricardo R 22/02/2014 15:42

    hehe gleisi é um poço de superficialidade. ela só sabe falar generalidades, e quando a questionam qqr coisa um pouco mais técncia ela tergverseia, pq simplesmente não entende.

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.