Publicidade

sexta-feira, 25 de abril de 2014 Crise Brasileira, Inflação, Juros no Brasil, Politica Economica | 04:09

Pesquisa do BC mostra inflação acima da meta em 2014

Compartilhe: Twitter

O recente relatório  FOCUS do BC, que mostra os resultados de uma pesquisa semanal feita junto a analistas de consultorias e do mercado sobre as previsões para a inflação deste ano e do próximo, indica um quadro muito preocupante para a inflação. Os resultados dos dados coletados entre os analistas que têm tido o melhor resultado em prever a inflação de curto e médio prazo mostram uma elevação das expectativas para a inflação deste ano, que já estão acima do topo da banda de metas:

focussemanal

 

Vemos em vermelho que a mediana das previsões dos analistas que têm tido melhor resultado em prever a inflação de curto prazo está subindo ( vermelho) e hoje está acima da meta. O mesmo ocorre com os analistas que têm melhor resultado ao prever a inflação de médio prazo ( amarelo).

Na amostra total dos analistas consultados pelo BC do B, temos o mesmo quadro de piora, em roxo abaixo:

focustodos

 

 

Mas por que se preocupar com as expectativas? Não estariam elas sujeitas a erros? Sim, as expectativas estão sempre sujeitas a erros, ainda bem… Porém a teoria monetária moderna se baseia fundamentalmente na gestão destas expectativas por parte do BC através da política monetária e dos juros. No sistema de metas o BC, ao invés de reagir a inflação corrente quando esta fica muito elevada, age preventivamente sobre as expectativas, antes que elas se confirmem. Isto acaba reduzindo o custo social em termos de perda de atividade econômica quando se elevam os juros. Se o BC esperar a inflação subir para aí então aumentar os juros e conter a oferta de crédito, a elevação de juros necessária neste contexto precisará ser  muito grande, o que causará uma forte retração da atividade. Por outro lado, se o BC atua com antecipação e já aperta a política quando as expectativas se descolam do centro da meta, os ajustes nas taxas de juros podem assim ser menores e mais graduais.   Se os BC’s têm credibilidade junto aos agentes e sobem os juros quando as expectativas sobem, tais agentes evitam fazer ajustes de preços preventivos pois temem uma elevação maior dos juros. Isto reduz o contágio da inflação atual pela elevação das expectativas. Ou seja, para a sociedade, o custo em termos de perda de demanda e atividade econômica quando se elevam os juros é bem menor neste cenário. Desta forma, uma avaliação correta por parte do BC das expectativas é muito importante, assim como uma atuação decidida sobre tais expectativas para que elas não se desancorem e contaminem a inflação corrente.

Neste sentido, à luz do quadro inflacionário persistente que temos vivido ao longo destes anos,  é bem provável que se retomem os debates sobre se devemos dar a autonomia formal e legal ao BC do B no combate à inflação, tornando-o uma agência governamental independente, mais protegida das pressões políticas, com mandato específico de manter a inflação sob controle e monitorada pelo Congresso. O risco que corremos em tais debates é que sejam apresentadas propostas mais populistas visando enfraquecer o mandato atual do BC do B ainda mais, aumentando sua tolerância a inflações maiores,  algo  que causaria um enorme dano a sua credibilidade. Porém acho que está mesmo na hora de discutirmos este assunto de uma vez por todas nas próximas eleições e democraticamente fazermos nossas escolhas.

PS: Sempre é possível que alguns  mais ideológicos, que se “esqueceram” das mazelas da hiperinflação dos anos 80 e 90, acusem as dezenas de analistas consultados pelo BC do B de   “conspiradores neo liberais que defendem os rentistas e banqueiros  e  estão a serviço do grande capital financeiro”, e  assim desqualifiquem os dados, mandando tudo isto às favas, pois a “inflação está mesmo sob controle e um pouco de inflação a mais não dói”. Ou seja, na mesma linha de que o culpado seria a nota de corte no vestibular e não o aluno pela nota baixa recebida …

 

 

Autor: Tags:

Nenhum comentário, seja o primeiro.

Os comentários do texto estão encerrados.