Publicidade

quinta-feira, 25 de setembro de 2014 Crise Brasileira, Crise global, Inflação, Sem categoria | 02:49

A inflação no mundo caiu, mas aqui…

Compartilhe: Twitter

Num mundo  globalizado é de se esperar que as inflações entre os diversos países caminhem com alguma sincronia no longo prazo. Através do comércio exterior, os preços de produtos similares nos diversos mercados tendem a flutuar juntos, uma vez que é possível em alguma extensão importar ou exportar tais bens, o que acaba equilibrando a variação dos preços no globo.

Pois é. Parece que esta regra não se aplica ao Brasil.

Elaborei, com dados da Bloomberg, um ranking de alguns países com base na inflação acumulada em doze meses em Julho último:

 

rankinfla

 

 

Vemos que dentre estes mais de 50 países temos uma das dez maiores taxas de inflação ( verde) . Isto é bem acima da média da amostra de 4,5% a.a. ( vermelho) e da sua mediana de 2,9% (amarelo) , que de fato é a medida mais significativa pois ela reduz o efeito dos países de altíssima inflação ( marcados em marrom no topo da tabela) e com baixa inflação e deflação ( em vermelho no inferior da tabela) no cálculo de uma valor representativo da amostra.

Conclusão: nossa inflação em termos relativos está elevada. Mas isto é novo?

Para responder esta questão, o gráfico abaixo mostra a evolução da mediana da inflação da amostra acima, da inflação na Zona do Euro e nos EUA desde a crise de 2009 vis a vis a nossa inflação:

 

nossainfmundo

 

O gráfico verde mostra a evolução de nossa de taxa de inflação de 12 meses. O laranja mostra a evolução da inflação na Zona do Euro, em vermelho nos EUA e em azul da mediana da amostra. Vemos que de 2011 para cá a inflação global vem caindo gradativamente, tendo se estabilizado contudo ao redor de 2,5% a.a. Contudo vemos que nossa inflação se descolou da inflação global desde 2010. Em cinza podemos notar que naquela época nossa inflação era cerca de 1,5 pontos percentuais superior a média global.  Hoje tal diferença chega a mais de 3,5% a.a ( marcado em preto). Ou seja, nossa inflação se distanciou da inflação global. E isto  aconteceu num cenário de desaquecimento da nossa economia vis a vis a dos outros países, como vimos em:

http://ricardogallo.ig.com.br/index.php/2014/09/23/sra-presidenta-que-crise-externa-e-essa/

Seria de se esperar que nossa inflação caísse mais rápido do que no restante do mundo, na medida em que a nossa economia se desaqueceu mais nos últimos anos.

É muito importante entender os motivos deste comportamento tão disparatado de nossa inflação e de nossa economia. Acho importante que os candidatos tragam  ao debate eleitoral seus diagnósticos sobre esta questão  e tragam propostas em seus planos de governo para alterar este dinâmica atual tão perniciosa, quando convivemos com uma inflação elevado e um crescimento baixo. 

 

 

Autor: Tags:

3 comentários | Comentar

  1. 53 Diego 26/09/2014 9:50

    Gallo,

    Não seria a taxa de desemprego um dado a ser analisado nesse contexto?

    Imagino que nos demais países, após a crise de 2008, a taxa de desemprego tem aumentado consideravelmente, enquanto por aqui o emprego se manteve através de estímulos ao consumo.

    A conta que explica, em parte, a nossa inflação não seria Crescimento baixo + pleno emprego?

    • Ricardo Gallo 26/09/2014 18:00

      ps: interessante , mas veja post recente sobre crescimento…

      http://ricardogallo.ig.com.br/index.php/2014/09/23/sra-presidenta-que-crise-externa-e-essa/

      se o diferencial de crescimento entre brasil e o mundo tivesse aumentado nos ultimos anos ate faria sentido o que houve com inflaçao…

      nossa performance relativa em inflação piorou da mesma forma que aconteceu com crescimento…

      resumo : nossa produtividade aqui cresce menos do que no resto do mundo!!!!! e ai pega na inflaçao… e no investimento… e no lucro das empresas….simples.

    • Ricardo Gallo 26/09/2014 16:09

      claro. sem duvida que a regra de taylor ainda vale.

      porem meu ponto é outro: imagine o que vai ocorrer com nossa inflação daqui pra frente com o desemprego no mundo caindo e se normalizando? Neste cenario, a a inflaçao no resto do mundo sobe, certo? Afinal é isto o que yellen, draghi e o kuroda querem…

      ai juros no resto do mundo sobem, certo? pois ai vao ter quer reverter o ease… ai dolar sobe, como ja esta acontecendo.

      alem disto, com inflação maior lá fora, preços dos produtos importados irão subir mais rapido em US$...

      ai a inflaçao nossa, que hoje é contida por preços monitorados baixos, pela deflaçao internacional manifestada no custo dos produtos que importamos e pelo dolar baixo, sobe…

      ai estouramos a meta, a nao ser que aumentemos o desemprego.

      não questiono os motivos do fenomeno…só acho que daqui pra frente a coisa pode mudar…. e o lado externo, que tanto nos ajudou na inflação, vai atrapalhar…. e isto é pessimo para quem tem inflação lambendo o topo da banda….

      neste logica, se eu estiver correto, o desemprego baixo que hoje temos é insustentavel.

      O que eu quero dizer é que hoje temos tido uma ajuda da deflaçao internacional, seja qual for o motivo que tal deflaçao esteja ocorrendo.

      esta moleza vai acabar… e ai rumo a 8?

  2. 52 Ezequiel Alves 25/09/2014 21:46

    Uma pergunta para refletir, como em menos 4 anos conseguimos passar de de uma enorme prosperidade econômica que não existia em décadas para uma profunda recessão e uma decomposição econômica? Isso não é incrível?

    • Hudson 27/09/2014 14:58

      Simples, meu caro. Você foi enganado. Esta prosperidade econômica nunca existiu. Foi construída por crédito e agora está na hora de devolver o principal e os juros. O PT sairá queimado depois destes 12, provavelmente 16, anos de governo (se não derem o golpe branco antes, é claro, como fizeram seus pares).

    • Ricardo Gallo 26/09/2014 8:17

      não é incrivel. era ate previsível. a série de equívocos na condução da política econômica nos levou a isto.
      comento isto nesta coluna ha anos.

      e se não mudarmos as políticas a coisa vai piorar mais ainda.

  3. 51 Ezequiel Alves 25/09/2014 21:41

    Você acha que tirar todos os impostos e taxas de importações de produtos que são comprados no exterior para o Brasil pode parar a inflação? Lembra do motivo de erguerem o muro de Berlim? Eu vi os preços de um cidadão comum americano nos EUA através de um canal do you tube chamado realidade americana e os preços dos produtos de lá é como se estivesse vivendo em um outro mundo. A ideia de inflação não estaria vinculado ao fato do comerciante nunca querer assumir os custos da inflação fazendo a manutenção do seu negócio e mudando seu fornecedores, contratando pessoal qualificado, cortando gastos excessivos e desperdícios, reduzindo o número de funcionários, fazendo empréstimos, além de muitas outras coisas. Praticamente não quer assumir nenhuma dessas responsabilidade mais sempre querer passar essa responsabilidade dos custos da inflação aos consumidores?

    • Ricardo Gallo 26/09/2014 8:18

      se houver competição entre os vários comerciantes isto nao ocorre

      inflacao é um fenômeno monetário.

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.