Publicidade

sexta-feira, 3 de outubro de 2014 Crise Brasileira, Politica Economica, Sem categoria | 01:57

Preços das commodities, comércio, emprego e indústria caindo

Compartilhe: Twitter

Como se já não fossem suficientes os problemas internos que nossa economia enfrenta neste momento, os preços dos principais produtos que exportamos está despencando nos últimos meses lá fora, como mostra o gráfico abaixo:

 

commbra2014

 

 

Tomando como base 100 os preços da soja ( gráfico vermelho) e do minério de ferro ( verde) nos mercados internacionais em dezembro de 2013, podemos ver claramente a enorme queda ocorrida este ano. A soja caiu 27% e o minério 43% desde janeiro.  O gráfico abaixo emprestado junto ao Banco Itau mostra um quadro similar, e com fortes indícios que a tendência de queda que se iniciou nos primeiros meses deste ano ainda não acabou:

 

commoditau

 

 

Tudo indica que o ciclo de alta de preço das commodities terminou.

SE estes preços persistirem nestes níveis, isto irá representar um enorme baque no nosso saldo externo, pois soja, minério e milho representam 30% de nossas exportações, como marquei em preto abaixo:

 

exportprod

 

 

 

Além de aumentar nosso endividamento externo, isto impacta negativamente a renda do setor exportador de commodities que vinha, ao longo destes anos, passando incólume à crise local.  Isto deve piorar ainda mais a demanda interna e esfriar ainda mais nossa economia, pois os investimentos neste setor devem desacelerar bastante nos próximos anos, já que a rentabilidade dos exportadores caiu bastante. Ou seja, os ventos que nos ajudaram até 2012 começam a mudar de lado.

Precisamos urgentemente repensar o modelo de país, pois parece que todas as forças que nos impulsionaram desde 2004 acabaram, pois até o consumo dá sinais claro de enfraquecimento como vemos no gráfico abaixo que mostra a confiança do comércio:

 

confiancacomerciogv

 

 

Vemos no gráfico preto que a confiança do comércio neste ano vem bem abaixo dos anos anteriores, e os dados recentes mostram de fato um aprofundamento na crise, como vemos marcado pela seta vermelha.

E a produção industrial, apesar dos dados de Agosto terem sido positivos, mantem a tendência geral de baixa, como vemos no gráfico abaixo da produção mensal da Indústria de Transformação ( ajustada sazonalmente) em laranja, com sua média móvel de 3 meses em vermelho:

 

pindtransf

 

 

Vemos em roxo que a indústria está estagnada desde 2010 mas com os dados recentes mostrando uma forte desaceleração (preto). Vemos que a tendência de crescimento que tínhamos até 2009 foi abortada. Ou seja, desde a crise nossa indústria só encolheu, como pode ser visto no gráfico azul claro que mostra a tendência central da produção. 

E, como já era esperado, a última peça já está caindo: o emprego. O Gráfico abaixo mostra a evolução do número de pessoas empregadas nas grandes regiões metropolitanas desde 2006 :

 

pessoocup

 

Vemos que o emprego, que crescia a mais de 2% a.a. até 2011, vem se desacelerando desde então ( preto), e mais recentemente mostra contração, de forma mais aguda do que a vivida no pico da crise de 2009 ( marrom).  E a tendência ( gráfico vermelho) não é nada animadora.

O alerta vermelho acendeu. Um amigo de Brasília, veterano na política e conhecedor de economia, me confidenciou recentemente em tom de ironia que, considerando o cenário atual e as perspectivas para os próximos anos, provavelmente os candidatos da oposição já estariam  tirando o pé do acelerador na campanha, pois talvez fosse mais esperto adiar tudo para 2018. Ele até mencionou um ditado bastante triste:

 

pessimismo

 

 

Ironias a parte, de fato os desafios que se colocam para o nosso (a) próximo(a) presidente(a) são enormes, e os remédios até então adotados não me parecem os mais adequados. Ajudaria bastante se todos os candidatos entrassem em detalhes sobre como pretendem endereçar este desafio. 

Portanto, votemos com consciência e sabendo destes desafios que teremos pela frente.

 

 

 

Autor: Tags:

6 comentários | Comentar

  1. 56 Marcos 07/10/2014 12:09

    Engraçado foi a piada no fim vamos votar com consciência? Cara eu queria saber quais foram seus votos e daqui 5 anos te dar os parabens e dizer nossa seu voto fez toda diferença quando eu vou votar eu penso assim opção A B e C são laranjas podres enfim tenho NOJO de votar em alguém! Até o Maluf com uma cidade, sim o cara tem uma cidade O.o um cara desses se mantem lá no poder de um geito ou de outro e pior se acha que salario de 20000 reais para um cara desses faz alguma diferença ele só procura imunidade parlamentar ele deve ser bilionário já… Que vença o tiririca, nossa eu nem votei nele e ele ganhou de novo… viva o modelo de voto obrigatório e acesso de pessoas sem estudo a politica nosso representante mal sabe escrever estamos de parabens sempre seremos 9º mundo… terceiro ta longe heim…

  2. 55 JGould 03/10/2014 13:27

    Opa! estou com seu amigo. Não votarei na “presidenta economista em chefe” mas sinceramente torço pra q ela vença! porque se não, devido aos ajustes, ouviremos a cantilena…”na época da presidenta(urh!) que era bão”, ah! e pra apimentar seus dados…viu o payroll report?

    • Ricardo Gallo 03/10/2014 13:48

      viji… meu amigo político de brasilia é petista… creia-me.

  3. 54 Ezequiel Alves 03/10/2014 12:42

    Ninguém no mundo, rico ou pobre quer pagar pelas coisas mais caro pelas coisas

  4. 53 Ezequiel Alves 03/10/2014 12:36

    Eu vi numa postagem de um blog que o governo conseguiu diminuir um maior avanço da inflação aumentando os preços que administrado pelo governo como a gasolina, transporte e energia, COMO ASSIM??? como o aumento ou não desses preços pode influenciar com a inflação? Eu não sou economista por isso eu estou confuso com isso.

    • Ricardo Gallo 03/10/2014 14:10

      o governo fez o oposto:

      a. ele segurou o preco de alguns servicos públicos administrados, que não acompanharam a elevação dos custos.
      b. com isto a inflação media, medida pelo ipca, cai. delfim ja fazia isto na decada de 70…
      c. e com isto voce gera prejuizos aos setores que tiveram seus precos represados
      d. e com isto voce reduz investimentos nestes setores,,,

  5. 52 Hudson 03/10/2014 11:50

    Seu blog é um dos melhores blogs de economia da blogosfera. Parabéns.

    Ainda dá tempo de evitar o que estes idiotas criaram ou teremos 2 ou 3 anos muito difícesi pela frente?

  6. 51 IRCR 03/10/2014 7:51

    Gallo,

    Não se preocupe, com o estabelecimento dos conselhos populares, das comunas, dos soviets, ou seja, do poder popular, para realocar os recursos na economia bem ao modelo da Venezuela, nossos problemas estarão resolvidos

    • Ricardo Gallo 03/10/2014 13:45

      bom ponto. preciso estudar mais.

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.