Publicidade

quarta-feira, 15 de abril de 2015 bizarro, Crise Brasileira | 15:56

Frase da semana

Compartilhe: Twitter

Ouvi hoje do meu amigo Barba (não é o Lula) um resumo interessante sobre sua visão a respeito da evolução das negociações políticas sobre o ajuste fiscal e da política monetária e inflação:

Existem dois tipos de ajuste fiscal: o bom e o ruim. O bom é aquele onde os outros pagam o seu custo. Assim como há dois tipos de ajuste de preços relativos: o bom e o ruim. O bom é aquele onde os preços que sobem são dos produtos que os outros consomem.

 

Lembra da lei de Gérson?

https://www.youtube.com/watch?v=J6brObB-3Ow

Assim pensa todo mundo. Fica fácil ajustar economia neste cenário?

 

Gerson-Vila-Rica

 

 

Autor: Tags:

3 comentários | Comentar

    • Ricardo Gallo 20/04/2015 23:24

      provavelmente sim

      quando bc perde credibilidade e deixa inflação subir, como ocorreu nos últimos 4 anos, o custo econômico para reduzir a dita fica elevadíssimo

      esta é a razão de não podermos tolerar que inflação fique tanto tempo acima do centro da meta…

      quanto mais estável e próxima inflação estiver do centro da meta menor será o custo de se mante-la estável

      os juros necessários para manter-se inflação no centro da meta caem na medida em que msntemos inflação ancorada ao redor da meta.

      é assim que funciona sistema de metas. qto mais pessoas acreditarem que Bc não vai deixar a inflação desviar do centro da meta, menor o custo de se corrigir os eventuais desvios que ocorrerem….

      e vice versa

  1. 52 Dudu 16/04/2015 20:27

    Gallo, se a economia cair mais de 2% (o que acho que é provável), mesmo assim a inflação ano que vem não chega perto da meta de 4,5?

    • Ricardo Gallo 17/04/2015 13:32

      não

      duvido que seja inferior a 5

  2. 51 Andre 16/04/2015 19:07

    Acho que a lei de Gerson é universal…

    Já dizia o eterno malandro Bezerra da Silva, “Farinha é pouca, meu pirão primeiro”…

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.