Publicidade

terça-feira, 16 de março de 2010 EUA | 13:18

Mercado de construção os EUA dá sinais de estabilização

Compartilhe: Twitter

Boa notícia para o pessoal da construção civil nos USA….

Gráfico abaixo, gentileza dos amigos do Banco Safra de Investimentos , mostra que números de construções iniciadas  ( linha laranja no chart) desde 2007 caiu de 2.2 milhões de casas por ano para cerca de 500 mil. Porém nos últimos meses há fortes indícios que a coisa parou de piorar. Porém há ainda um longo caminho para a percorrer para voltar aníveis razoáveis.

Um dos grandes problemas dos USA é como realocar a mão de obra perdida neste setor para outros setores da economia que deverão crescer, como energia renovável e saúde.  Lembrando que desemprego nos EUA dobrou em  2 anos. Na Espanha o problema é similar. A bolha imobiliária criou uma bolha de emprego no setor de construção. Quando bolha estoura….

Autor: Tags:

ataques especulativos | 10:29

Como fazer um ataque especulativo a um país? Último capítulo

Compartilhe: Twitter

Vamos às últimas lições do Manual do Especulador, lições que nos ensinam a como terminar um ataque:

Lição 6 – Detonando a bomba

Este é momento crítico do ataque. Espere uma notícia negativa sobre o país alvo, ou alguma crise política ou alguns dados econômicos mais fracos. E agressivamente comece a operar nos mercados, no sentido de tentar desvalorizar os papéis num montante que seja suficientemente grande para fazer com que aqueles que estavam apostando contra o ataque tenham que recuar e fechar suas posições, o que aumenta ainda mais a distorção de preções causadas inicialmente. Este é o início da tendência de depreciação dos preços que caracteriza uma crise,  tendência que levará cada vez mais agentes a acreditarem na sua tese.  Obs: você poderá ser acusado de manipulador de mercados… Logo, tenha bons advogados.  Se o ataque der certo, você será chamado de gênio… se der errrado, você pode ir para a cadeia!

Lição 7 – Saiba quando sair…

Quando você perceber sinais que  o FMI  ou que outros governos começam a debater a crise, e que se começa a criar um consenso que os problemas estruturais do país alvo precisam ser resolvidos, é sinal de que a coisa está acabando. Porém não acredite que pacotes mirabolantes e pacotes de ajuda externa incondicionais chegarão nos próximos dias. As coisas ficam muito feias antes de melhorarem. Porém quando você sentir que até os sindicalistas do país estão vendo a necessidade de mudar as coisas, está na hora de sair da mesa. Saia de suas posições e ponha seu lucro no bolso. Lembre-se que seu objetivo não é quebrar país nenhum; você só quer ganhar dinheiro…

Epílogo

Depois que que cavalaria internacional chegar e o governo local começar a tomar as medidas necessárias para endereçar os problemas que causaram a crise,  aposte a favor, com todas suas fichas, pois é neste momento que você de fato vai ganhar muito mesmo… Faça uma visita ao país e diga a imprensa local que você sempre os apoiou. E escreva um artigo elogiando as medidas e apoiando o  socorro internacional.

É uma pena que os textos originais deste Manual do Especulador tenham se perdido no incêndio da biblioteca de Alexandria.  Caso contrário, as autoridades, os reguladores e alguns governos do mundo todo poderiam ter evitado várias destas crises, seja através de políticas econômicas consistentes ou de medidas reguladoras que reduzam a especulação. O fato é que tais especuladores, por mais indesejáveis que o sejam,  não causam os desequilíbrios que levam às crises, são somente atraídos por eles.

Autor: Tags:

segunda-feira, 15 de março de 2010 ataques especulativos | 22:15

Sen. Christopher Dodd bate nos especuladores.

Compartilhe: Twitter

O presidente da comissão do Senado dos EUA responsável pelo Mercado Bancário apresentou projeto de lei que impõe restrições aos Bancos de usarem seu Capital e dinheiro dos depositantes em atividades de risco especulativo. A medida já era esperada, porém o tom das restrições é mais forte do que se pensava. Porém fica difícil ser contra tais medidas tendo-se em vista o ocorrido por lá…

E se a moda pega? E se todos os Governos tomarem esta mesma decisão? Parece que iremos ter mudanças profundas no sistema financeiro global.

Porém em primeiro lugar a Lei tem que ser aprovada lá e o lobby dos Bancos é poderoso.

Autor: Tags:

CHINA | 15:20

Governo Chinês vai apertar política monetária

Compartilhe: Twitter

Este é o gráfico do dia: o premier chinês Wen Jiabao afirmou no fim de semana que está preocupado com o crescimento da oferta monetária na China ( m1 = dinheiro depositado junto aos bancos e em circulação, prontinho para ser gasto, linha preta no gráfico).

O Gráfico mostra que de fato a coisa é séria: OFERTA DE MOEDA CRESCE A 36% AA. E a  inflação ( legenda CPI , medida na escala da esquerda do gráfico aparecendo como  linha cinza) já está acelerando….

E vejam que toda vez que oferta de dinheiro cresceu mais do que 20% aa, a inflaçã0 subiu bastante: vejam o gráfico cinza  em 2004 e 2007. Logo fica a impressão que eles pretendem apertar política monetária por lá. E bastante.  Aí nossos principais compradores de produtos exportáveis vão ter que esfriar economia? Aqui como lá….

Autor: Tags:

ataques especulativos | 00:00

Como fazer um ataque especulativo a um país? Capítulo 2…

Compartilhe: Twitter

Seguem aqui mais 3 lições dos gregos antigos:

Lição 3 – Alavanque-se – entram em cena os derivativos

Use instrumentos que possam ser alavancados sem limitações de volume e procure fazer tais operações com os bancos locais… Mas isto as vezes pode ser bastante difícil de se conseguir. Por exemplo,  se você pretendesse atacar o Yen, moeda japonesa, você precisaria tomar Yen emprestado junto a um Banco Japonês e comprar dólares a vista. Agora,  se você pretendesse atacar a dívida pública espanhola, você precisaria que algum espanhol que tivesse títulos da dívida pública espanhola os emprestasse para você, para então você poder vendê-los a descoberto no mercado. Enfim, você precisaria ter acesso ao crédito local para poder efetuar seu ataque.. Mas lembre-se que ninguém gosta muito de emprestar a especuladores, pois eles muitas vezes quebram. Não é fácil…

Contudo seus problemas acabaram: com o advento dos derivativos, você pode vender títulos da dívida sem tê-los ou sem precisar tomá-los emprestado de alguém, como também pode comprar Dólares sem ter a moeda local para dar em troca! Basta você depositar em garantia uns 5% do valor da operação junto a um banco ou bolsa de futuros e executar uma operação de venda futura de moeda local ou de títulos da dívida bancária ou pública de tal país alvo em volume 20 x maior ao volume de garantia que você depositou. Use derivativos!!! Porém fique esperto pois pode haver canelada: as autoridades locais levadas pelo pânico podem vir a  limitar tais operações, forçando você a sair de suas posições no pior momento!

Lição 4 – Chame a manada – o efeito inveja

Ninguém faz nada sózinho neste mundo. Convença a outros especuladores e gestores de fundos a pensarem como você. Quanto mais gente aderir, maior o sucesso de seu ataque… É importante que o ataque que você idealizou seja tema de vários relatórios de pesquisa de Bancos internacionais e motivo de comentários de grandes gestores de fundos internacionais em seus relatórios. A coisa vira um Tema de Investimento…. Aí todos os gestores de fundos internacionais entrarão no ataque pois não vão querer que você ganhe sozinho!!!

Lição 5 – Montagem da posição

As pessoas confundem início do ataque com a montagem das posições. Geralmente as posições especulativas são feitas antes do início do ataque . Desta forma, quando o ataque se iniciar haverá investidores que estarão do outro lado da aposta, na posição errada, e que irão tentar desesperadamente sair de suas posições quando o ataque de fato começar, o que acelerará ainda mais os efeitos do mesmo. Aqueles coitados que acreditavam nos fundamentos do país e estão aplicados em seus papéis vão sair correndo vendendo seus ativos e os compradores irão sumir! Não é isto que você deseja?

Amanhã teremos o capítulo final … aguardem

Autor: Tags:

domingo, 14 de março de 2010 ataques especulativos | 19:50

Como fazer um ataque especulativo a um país? Capítulo 1…

Compartilhe: Twitter

Diz a lenda que havia na  Grécia Antiga o Manual do Especulador, que em seu capítulo sobre ataques especulativos traz sete lições úteis para aqueles que pretendem ganhar dinheiro explorando as fraquezas  nos fundamentos econômicos de certos países  ou para aqueles que queiram evitar que tais crises ocorram.

Pretendo fazer minha estreia nesta coluna fazendo um pequeno resumo do que, segundo os historiadores, teria sido escrito há vários séculos sobre o assunto:

Lição 1 – A escolha do país alvo

Selecione seu alvo com cuidado, pois é necessário que tal economia apresente desequilíbrios ou vulnerabilidades em vários de seus fundamentos, pois país sólido não quebra…  portanto deve-se focar em economias com características especiais:

– é importante que o país tenha um deficit crônico em suas contas externas, ou seja, com saldo negativo persistente na balança comercial, combinado com um volume grande de pagamentos de juros e dividendos ao exterior…. pois se alguém não precisa de financiamento ele não quebra. Este deficit persistente mostra que há falta de poupança interna, isto é, as pessoas de lá gastam além do que podem.

– se tal deficit externo for acompanhado de um deficit nas contas públicas, isto é, se governo gasta mais do que arrecada e tem dívida pública elevada e crescente, cria-se o tal dos deficits gêmeos, atributo bastante atraente aos especuladores, em particular se um volume importante da dívida pública estiver nas mãos de credores estrangeiros ou que esta seja denominada em moeda estrangeira…  os gringos são sempre menos tolerantes e céticos com relação às promessas de austeridade dos políticos locais… e governos não têm uma boa reputação no que diz respeito a como gastar o dinheiro dos contribuintes. Lembre-se da Crise do México em 1995 e dos seus Tesobonos nas mãos dos fundos americanos…

– ajuda bastante se o sistema financeiro do país for frágil, com volumes crescentes de inadimplência e alavancagem, e que seja dependente de captação externa para o funding de seus empréstimos. Na crise Russa de 1998, a fraqueza dos bancos russos foi um fator decisivo para o sucesso do ataque, pois o risco de uma corrida bancária aumenta a dramaticidade nestes casos.

– e é claro, se a taxa de câmbio for fixa ou administrada, o ataque será mais eficiente, pois  o governo será obrigado a vender moeda exterior e a comprar moeda local quando esta atingir determinadas taxas, o que reduzirá as reservas externas e causará uma redução ainda maior da oferta de crédito interno nos momentos de fuga de capitais. Isto leva a mais inadimplência dos tomadores de empréstimos e  fará com que Banco Central tenha de subir os juros para evitar a fuga de capitais, aumentando assim o custo de financiamento da dívida pública e o deficit público no pior momento possível. Se ele não subir o juro de forma decisiva, mostrará fraqueza, o que irá atrair mais especuladores! Este aspecto foi o mais relevante nos ataques especulativos do final do século passado, como na crise do Real de 1999 e na crise da Libra esterlina  do início dos anos 1990….

Lição 2 – Divulgue as fraquezas do inimigo

Faça com que tais vulnerabilidades  sejam de conhecimento público, divulgando-as em eventos e reuniões internacionais e convencendo parcelas importantes da mídia especializada a dar destaque aos problemas de tal país, mesmo que estes problemas já existam há muitos anos. É importante que o maior número possível de agentes, analistas e jornalistas  prestem atenção no assunto agora, como se fosse uma descoberta nova, uma nova moda… Isto é muito fácil de se conseguir, pois este pessoal está sempre atrás de uma nova moda…

Bem, vou ficar por aqui… mais tarde eu trarei os outros Capítulos..

Autor: Tags:

  1. Primeira
  2. 80
  3. 90
  4. 100
  5. 105
  6. 106
  7. 107
  8. 108
  9. 109
  10. Última